A boa censura

Leio agora sobre o caso de Fabio Bórquez, o argentino revoltado porque seu álbum de fotos no Flickr foi censurado, pois havia nele fotos de nu artístico.

6a00e554b11a2e88330105359cb36c970c-250wiTalvez os argentinos tenham o mesmo recalque de proibição que os brasileiros, porque ambos vivemos os traumas de ditaduras no século passado (a diferença é que o ditador deles era a Madonna e o nosso o Médici). Mas a liberdade é algo tão recente que nós ainda não nos acostumamos com ela, não entendemos como funcionam seus limites, fingimos que não existem. Vez ou outra, abusos acontecem em nome da liberdade e aí precisamos voltar atrás um pouquinho.

Muitos reclamam das baixarias das novelas, com o argumento de que crianças não devem ser expostas ao que se mostra na telinha*, seja pelo linguajar, pelas situações apelativas ou violentas ou pelo próprio tema, muitas vezes pesado demais para a jovem audiência. Mas nudez pode. A menina não pode ouvir o Tony Ramos falar “caralho” na TV, mas pode ver um no Flickr, bem ali, ao lado das fotos da sua festinha de 6 anos. Duro.

Ocorre, no entanto, que o Flickr é a casa de alguém que não permite nudez em seus domínios. E se você mora lá (de graça) precisa obedecer a algumas regras. Estar vestido é uma delas. Isso é tão incompreensível assim?

6a00e554b11a2e8833010535952cad970b-320wiO nu que para Bórquez é artístico pode ser extremamente ofensivo para outra pessoa e vice-versa (até porque é uma mulher grávida que está nua). É difícil regular uma liberdade que está baseada em subjetividades. Se você não gosta disso, lamento, volte outro dia. Vá para outro site e leve seus 5.000 contatos com você – se é que eles vão mesmo – e misture suas fotos às da Rita Cadillac.

Em vez disso Bórquez iniciou uma verdadeira cruzada contra o site e o jornal El País comprou a briga (ainda que na seção de tecnologia). Incendiando a polêmica, o periódico diz no título da matéria que “o Flickr não gosta do corpo humano”. Acho que é meio demais rotular dessa forma e, de repente, o censurado corre o risco de virar censor. Não satisfeito ele ainda levanta uma bandeira de liberdade de expressão e amealha meia-dúzia de cabecinhas fracas, digo, seguidores para a sua causa, para protestar online. Você soube? Nem eu.

Mas o fato é que entre responder por um clamor popular pela liberdade de expressão ou a processos por divulgação de pornografia e pedofilia – que tem sido rotina para o Orkut do rival Google – o Yahoo (dono do Flickr) escolheu a primeira opção. Ora, então proibir pornografia infantil, pedofilia, não é cercear a liberdade de expressão? Isso não é arte?

_______

*essa expressão perdeu um pouco o sentido, já que as telinhas de hoje têm 42 polegadas.

NOTA: fui eu quem colocou a tarja no peitinho da modelo da foto, porque quem manda aqui sou eu

 

1 pensamento em “A boa censura”

  1. Excelente! Mto bom!
    Tem gente que é mesmo mto burra!! Nem falo por esse caso porque não sei quais são as regras do Flickr, mas parece que eles são conservadores com qq tipo de imagem/vídeo. Se for assim mesmo, quem entrou que se submeta às regras!
    Um idiota que não difere um mouse de uma estante não sabe o limite onde a Liberdade de Expressão vira Irresponsabilidade. Quer publicar foto de gente nua? Ache o espaço onde isso é permitido!
    Se esse ou qq outro site não quer esse tipo de foto, está no direito deles! É a tal história de atribuir aos outros algo que não nos atribuiríamos.
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *