Atendimento ao cliente

Stephen Dubner, co-autor do best-seller Freakonomics, escreve no blog homônimo dentro no New York Times e acabei fazendo desse site uma passagem diária e obrigatória. Trata-se de uma fonte inesgotável de temas imprevisíveis, comentários insólitos, opiniões controversaas e histórias inacreditáveis. Uma delas é o meu tema de hoje.

6a00e554b11a2e8833010535ae00e1970c-300wi Seguindo um post antigo sobre serviço ao consumidor, cheguei ao blog Writing – Cookinng – Life, uma anônima (hummm…) coletânea de textos variados, sem nenhuma conexão aparente (familiar, hein…?). Mas o que me levou até lá foi uma comovente história sobre uma interação que o autor (não está claro no site se é homem ou mulher, então vai no masculino mesmo) teve com uma loja online de roupas e acessórios, a Zappos.

Se você entrar no site, verá que é bem feioso e nada atraente – ao menos para mim. Pois bem, esse cliente conta que comprou vários sapatos para sua mãe, que acabara de perder bastante peso. Ocorre que, dos sete pares encomendados, apenas dois couberam e os outro cinco precisavam ser devolvidos. Apesar de a devolução ser gratuita, era preciso levar os calçados até a empresa de courrier (nesse caso a UPS), que os entregaria de volta.

Nesse meio tempo, a mãe do blogueiro foi hospitalizada e ele acabou não levando os sapatos para serem devolvidos, perdendo o prazo. Quando a loja encaminhou, logo depois, um email perguntando pelos sapatos, ele explicou que não pôde ir até a UPS pois sua mãe havia falecido.

Logo em seguida, a Zappos respondeu avisando que entraram em contato com a UPS e eles mesmos retirariam os sapatos, para que o cliente não tivesse esse transtorno. Dito e feito.

No dia seguinte, voltando do trabalho, uma van de entregas de uma floricultura havia acabado de deixar em sua casa uma enorme cesta com um arranjo de lírios, rosas e cravos. Antes de se debulhar em lágrimas, o blogueiro teve tempo apenas de ver que o cartão era da loja onde comprara os sapatos.

Um pensamento em “Atendimento ao cliente”

  1. Será que um dia teremos esse tipo de atendimento por aqui??????
    Incrível, hein? Tenho cada história sobre esse episódio… Mas é melhor esquece-las, pois, não são histórias de amor com final feliz!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *