Snatch – porcos e diamantes

Snatch (2000) é um filme de ação mas, antes de mais nada, é engraçadíssimo! Escrito e dirigido por Guy Ritchie – o ex da Madonna – tem o cinismo cômico de Jogos, trapaças e dois canos fumegantes, além de vários atores em comum.

6a00e554b11a2e8833010536bb49b0970b-320wiTudo gira em torno de um enorme diamante (que entre o início e o final do filme varia entre 84 e 86 quilates, numa pequena falha de continuidade) roubado de um grupo de negociantes judeus por um ladrão de quatro dedos (isso parece comum, não?), vivido por Benício del Toro.

Enviado a Londres para negociar a pedra, Frankie Four Fingers cai numa armadilha que dá início a uma improvável trama de golpes e falcatruas. Chefiando os ladrões de jóias, primo Avi é a grosseria em pessoa. Encarnado por Dennis Farina, sua impaciente explicação de Londres é um perfeito roteiro turístico: “Yes, London! You know, fish, chips, cup of tea, bad food, worse wheather, Mary-fuckin’-Poppins. London!”

Um dos comparsas de Frankie arma-lhe uma cilada para que Boris, the blade roube-lhe o diamante. Só que os assaltantes trapalhões contratados para o serviço fazem tudo errado (as cenas do roubo são, de fato, inspiradas nos programas de TV que mostram crimes reais gravados por sistemas internos de vigilância e que dão errado) e passam a ter o sádico Brick Top (Alan Ford) em seu encalço.

No fim da cadeia alimentar estão Turkish e seu fiel escudeiro Tommy, respectivamente o agora famoso Jason Statham e o ainda desconhecido Stephen Graham. A dupla agencia um fracassado lutador de boxe que acaba levando uma inesperada surra do cigano casca-grossa Mickey, numa cômica interpretação de Brad Pitt. Ele é o líder de seu povo, cujo talento é negociar o que quer que seja, desde que a outra parte saia lesada e carregando um cachorro.

Esse incidente também coloca-os no caminho de Brick Top, o carniceiro empresário das lutas clandestinas, que gosta de alimentar seus porcos com seus inimigos (há no filme, inclusive, uma didática explicação sobre o apetite dos suínos e detalhes salivantes de suas preferências gastronômicas).

Com seu lutador fora de combate, o substituto da vez passa a ser o próprio cigano. Mas para desespero de todos, ele espanca seus adversários nas lutas que deveria perder.

Com o sumiço de Frankie, entra em cena Bullet-tooth Tonny (Vinnie Jones, que assim como em Jogos, trapaças aparece aqui praticando seu esporte favorito: esmagar cabeças com a porta do carro), o sinistro capanga de Dough, the head, cupincha de Avi, procurando o mesmo diamante. No seu encontro com os assaltantes trapalhões acontece um diálogo surreal sobre ímpetos penianos e testiculares e calibres de armas.

Aliás, na derradeira cena em que Tonny encontra os bandidos que estão com o diamante, não é Vinnie Jones, mas um sósia, porque Jones havia sido preso na noite anterior a essa filmagem, por envolver-se numa briga.

Ritchie tem agora todos procurando o diamante e Brick Top procurando todos. Ele imprime, assim, um ritmo alucinante ao filme, com diálogos afiadíssimos, ainda que num inglês praticamente incompreensível. O sotaque cigano de Brad Pitt representa, aliás, a vingança do diretor contra os críticos que reclamaram que Jogos, Trapaças… era falado numa língua indecifrável. Ritchie colocou, dessa vez, alguém que nem os outros personagens entendiam.

6a00e554b11a2e8833010536bb57a9970b-300wi Suas originais tomadas de câmera compõem um elemento extra em suas obras. São ângulos inesperados misturados com velocidades intercalando o slow motion e avanços rápidos. A edição também conta com recursos ágeis, emendando algumas cenas em ritmo de vídeoclipe.

E assim como em Jogos, Trapaças… Ritchie consegue criar uma trama envolvente, onde todos os personagens acabam se encontrando de alguma forma. Os finais são sempre inusitados e tudo parece resolver-se em benefício de quem agia de boa-fé.

Por falar em final, foi depois de terminar Snatch que Ritchie casou-se com Madonna e, a partir daí, não fez mais nada que prestasse. Como esse matrimônio também chegou ao final, vamos ver se essa má fase também acabou e ele volta com outro filme desse quilate.

3 pensamentos em “Snatch – porcos e diamantes”

  1. E “Rocknrolla”, vc viu? Como “Snatch” e “Lock, Stock and two Smoking Barrels” são simplesmente imperdíveis, eu estava na esperança de ser mais um da série must watch, mas ainda não assisti…
    Abs e ótimo 2009 😉

  2. Pelo que li, o Rocknrolla é do mesmo naipe destes dois citados. Ainda não vi.
    Engraçado que sempre gostei mais de Jogos, Trapaças, mas depois do seu texto, não sei!!!
    Preciso vê-los novamente.
    Abração!!!

  3. Obrigado pelos comentários!
    Jogos, Trapaças… tem as dores e as delícias de ter sido o primeiro “sucesso” e desabrochado nomes como Jason Statham e Vinnie Jones.
    Mas considero Snatch bem mais completo, com personagens fortíssimos apoiados por reforços de peso, como Brad Pitt, Benício del Toro e Dennis Farina. Os diálogos são muito afiados, com situações esdrúxulas. Além disso é um filme muito ágil – veja quanta coisa acontece em 104 minutos!
    Uma coisa interessante que eu percebi repassando esses dois filmes na minha cabeça é que em ambos são os personagens mais ingênuos que se dão bem, ante à possibilidade de catástrofe em que se metem no desenrolar de seus enredos. Já os bandidões casca-grossa, bem, esses se ferram mesmo…
    Com relação ao Rocknrolla, espero mesmo que seja bom, pois o que vi em Revolver é absolutamente deprimente… Espero que Ritchie se reencontre nessa fase pós-Madonna.
    Abraço, Rodolfo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *