BreakBerry e Claro, uma dupla do silêncio!

 

6a00e554b11a2e88330112793a869628a4-320wiSEXTA-FEIRA, dia 06/03/2009

Quem acompanha desde o início a minha saga tentando consertar um determinado telefone celular que, infelizmente, comprei no ano passado viu quantas atualizações fiz no post original. Mas o que aconteceu hoje é de tal forma surreal que merece um texto à parte.

To make a long story short, meu aparelho quebrou e foi mandado para a assistência técnica no dia 27 de janeiro. Para ir ao Correio (não é qualquer agência) enviar o maldito (sim, é você que tem que fazer isso!) você tem que ligar pedindo uma autorização que demora cinco horas para ser habilitada – mas isso eles não te avisam. E tem que pagar R$ 2,00 pela caixa do Sedex.

Uma semana depois liguei e disseram que o aparelho estava lá, mas eles não sabiam onde, porque havia sido entregue pelos correios, mas não conseguiam me dizer se já estava na oficina. Mau presságio, pensei.

Mais uma semana e ele estava sob observação. Ao menos havia sido encontrado. Dia 16 disseram que ele continuava lá e não havia previsão de ficar pronto. Mas que havia sido constatado um defeito. Ora, se eles me perguntassem eu mesmo poderia dizer que ele estava com defeito. Eu não o enviei para lá para ele tirar férias…

Deixei passar o Carnaval e liguei de novo em 2 de março. Avisaram que o aparelho fora encaminhado pelo Correio no dia 26 de fevereiro, às 09:02h. Fiquei inutilmente empolgado, enganosamente iludido.

Hoje foi o sétimo dia útil, ou nono dia corrido. Jamais vi um Sedex demorar tanto para percorrer a distância entre Alphaville e a minha casa, na Zona Sul de São Paulo (menos de 30 quilômetros). Um cágado manco teria chegado. Mas não um celular. Não o meu celular.

6a00e554b11a2e88330112793adaf528a4-320wi Liguei novamente e peguei o número do protocolo do Correio. Liguei no Correio e, surpresa das surpresas: o número que me deram não existe! Pensando que ainda poderia ter anotado errado, liguei de novo para a assistência técnica. Um atendente mau humorado disse que eu já havia ligado hoje. Claro que já, respondi, é que deve haver um engano com o número que anotei.

Não havia. Anotei o número certo. Eles é que estão com o número errado. E, pior ainda, sugerem que o erro é dos Correios. A supervisora de atendimento, Sra. Verônica, disse até que alguém dos Correios pode ter furtado o aparelho. Fiquei deveras comovido com o grau de confiança que a companhia tem com a empresa que ELES ESCOLHERAM para o transporte dos bens dos seus chatíssimos clientes.

Durante a conversa o atendente e a supervisora reforçaram que a responsabilidade do transporte é do Correio, como seu EU tivesse escolhido o meio de transporte para o meu B… . Não entendo muito de direito do consumidor, mas acho que se eles indicam a empresa, também são responsáveis pelo que acontece nesse ínterim. Tanto para extravio do aparelho (estou começando a me acostumar com essa possibilidade) quanto para o prazo de entrega. Se o código do consumidor estabelece 30 dias, esse prazo não deveria contar a partir do dia que eu entrego o aparelho no Correio?

De qualquer forma, é um terrível jogo de empurra. No momento em que uma companhia começa a se eximir da culpa, jogando-a para um terceiro que, repito, ELA ESCOLHEU, eu perco o respeito. Se ela não consegue reconhecer e assumir seus erros, jamais poderá melhorar. E, acredite, o que essa empresa mais precisa é melhorar!

SÁBADO, dia 07/03/2009

Hoje o aparelho chegou aqui em casa. Por obra e graça do Espírito Santo. (Ah, e isso provavelmente a Assistência Técnica não sabe.) Junto veio uma carta informando que tiveram que substituir a placa principal. Com isso o número de série do aparelho (IMEI) foi trocado e seria preciso informar o novo código para a operadora, de forma que eles fizessem o reset do PIN e, milagrosamente, ele voltasse a funcionar.

6a00e554b11a2e8833011168ca8b65970c-320pi Liguei na Claro e, após a rotineira peregrinação pelos departamentos do tele-atendimento, cheguei a quem de direito. Informei os números, ela anotou e conferiu. Depois pediu o número do PIN do aparelho.

Aí veio a nova surpresa: ela disse que os números do IMEI e do PIN não batiam e que não dava para alterar. Checamos novamente os números e ela estava com os mesmos números que eu. Mas no sistema delas eles não batiam. Que culpa eu tenho se os números não batem no sistema deles?

O fato é que se algum algoritmo maluco de verificação de códigos de segurança bate um número com outro, ele deveria checar o meu aparelho também, não? Logo, o meu aparelho não deveria aceitar parâmetros incompatíveis um com o outro e só trabalhar com pares compatíveis, certo? Mas se ele aceitou, por que raios a Claro não aceita?

Enfim, a atendente abriu um chamado para a área técnica para verificação. O prazo é de mais cinco dias úteis – sem o aparelho funcionar. E ela ainda tem a cara-de-pau de me pedir um número para ligar caso precisem falar comigo.

Resumindo: continuo sem o aparelho. Aliás, ele está aqui, mas não funciona. Como no dia 27 de janeiro quando foi enviado para conserto…

4 pensamentos em “BreakBerry e Claro, uma dupla do silêncio!”

  1. Salve Seo Rodolfo,
    Incruzive, há um mês, eu precisei cancelar meu cartão de crédito no Brasil (o câmbio CHF:BRL não tava favorável) e antes mesmo de ligar pensei: “Agora, F….U, uma horinha no telefone, fora o ping-pong e as dezenove vezes em que teria que digitar meu pequeno número do CC”.
    Surpresa não foi a minha quando em um minuto o atendente disse “O senhor está querendo estar cancelando o cartão? Tudo bem, ‘cartão cancelado’.”, ao que eu respondi “mas e aquele débito de anuidade de 70Virtuais, preciso pagar?”, aí o pouco do cabelo que me resta se foi quando ouvi a resposta “o senhor pode estar desconsiderando esse valor!”.
    A mãe Gaia saiu da órbita? Ou foi a mudança da lei dos Call-Centers? Ou, cruz-credo, é só uma surpresa esperando para acontecer quando meu nome for estar sendo protestado pelos 10,000BRL de débito da minha fatura atrasada do cartão (não)cancelado????
    Bem, espero que seu PIN encontre um parceiro no seu IMEI, ou então faça como eu, peque aquele aparelho que é o top da lista (do ano passado), se quebrar jogue no lixo e os 2Virtuais do Sedex, pagam pelo novo ….
    Abraços helvéticos (Daniel Lucius manda um abraço pela defesa)
    Serpa

  2. Amigo passei pelo mesmo problema! essa empresa SIMM é inacreditavel os atendentes parecem que tem 5 anos de idade e nao sabem atender um cliente!
    Meu curve demorou 2 meses para voltar somente depois de entrar com um processo no pequenas causas eles me deram um novo.
    Claramente eles mentiram para voce que enviaram dia 26/2 porque isso foi um dia antes de completar um mes, o que pelo codigo do consumidor o seu aparelho deveria ser destruido e enviado um zerado novinho para voce…
    A melhor parte da minha historia (ou pior) foram 2 horas com o atendente da SIMM no tel fazendo pesquisa no site do correios com varios codigos postais porque eles haviam perdido o controle de qual era o meu! ninguem merece…
    Agora precisei mandar o meu Bold para lá, e hoje completa 1 semana… começa d enovo a penuria

  3. É, JG, muito difícil mesmo. O pior é que eles não estão nem aí. A operadora cruza os braços e diz que não pode fazer nada. E a assistência é incompetente mesmo.
    O curioso é que descobri que o único problema do meu aparelho é que a antena estava desativada. Vi isso porque liguei para a SIMM e pedi para eles ajudarem a Claro, que não estava conseguindo me ajudar. Quando a pessoa me disse que o cadastro do novo IMEI era necessário para que a Internet funcionasse, pensei que então não havia razão para o telefone não funcionar. Fiz um teste e vi que era só ativar a antena. Aí funcionou tudo! Depois só precisei configurar novamente o email no site da BlackBerry. Ou seja, não precisa ir na operadora fazer nada! É pura falta de comunicação entre a operadora e a assistência técnica!
    O pior disso é que hoje (11/03/2009) me ligaram da SIMM. Eu disse que o aparelho já estava funcionando, graças a mim mesmo. A atendente disse que se eu não tivesse resolvido eles mandariam um aparelho novo por motoboy para a minha casa, para trocar pelo antigo. Então eu respondi que eles estavam jogando dinheiro no lixo por pura falta de comunicação. Que economizasse o valor desse telefone novo e investisse-o e melhorar o atendimento. Porque como você falou os atendentes parecem ter cinco anos de idade.
    E a Claro? Bom, a Claro não me ligou até agora… Eles não estão nem aí mesmo! O interessante para quem tem contratos de escravidão com operadora de celular é que há jurisprudência que permite que se troque de operadora sem pagar multa quando o caso é de falha nos serviços. O que está mais do que caracterizado aqui…
    Espero que esse seu novo aparelho durma menos em Alphaville que o anterior! Uma pena, né, porque os aparelhos são ótimos e quebram muitos galhos!
    Abraço,
    Rodolfo Araújo

  4. Começou hoje meu sofrimento, meu aparelho simplesmente não faz nada!
    Quando vou ligá-lo ele simplesmente aparece aquela ampulheta girando e desliga. Isso em menos de 6 meses de uso, fui na loja eles falaram que tenho que mandar para a assistência técnica que por incrível que pareça, só tem em São Paulo (sou de Belo Horizonte). Liguei eles me mandaram fazer os mesmos procedimentos que vocês e me pediram de começo apenas 45 dias, com tal barbaridade de falar “apenas 45 dias”.
    Abraços e sorte para todos nós!
    Pedro Kal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *