Querida leitora

Diversas pessoas que acompanham aqui meus escritos já me perguntaram por que me dirijo a vocês como leitoras – sempre no feminino. Em vez de explicações privadas e justificativas particulares, aqui vai um esclarecimento público que deve desfazer o mistério.

Apicius Confesso que esse hábito é um plágio fantasiado de homenagem a um crítico gastronômico que escreveu no Jornal do Brasil entre 1970 e 2002, o Apicius. Roberto Marinho de Azevedo era o nome completo por trás da alcunha.

O curioso pseudônimo teve origem no gourmet e bon-vivant romano Marcus Gavius Apicius que viveu no século I d.C. e teria escrito a primeira coleção de receitas culinárias italianas de que se tem notícia, compiladas trezentos anos depois num volume chamado… Apicius.

O termo tornou-se, então, sinônimo de compêndio de receitas e dá nome a diversos cursos e escolas gastronômicas no mundo todo.

Voltando ao cronista, Robertinho (como era conhecido pelos amigos mais próximos) escrevia belíssimos textos com um estilo inigualável. Suas críticas eram sempre muito elegantes, com um finíssimo senso de humor e uma bem dosada pitada de acidez.

Uma temperada combinação de perfeitos ingredientes que pode ser saboreada nesse petisco oferecido pelo blog de Luciana Fróes, lembrando a introdução de um guia gastronômico escrito por Apicius em 1992:

"Nunca se sabe o que pode acontecer com um guia. Depende do leitor. E, em se tratando de restaurantes, depende deles também. E de Deus, como tudo.

Assim, digo com autoridade: Excelente este lugar! E um deus, que entende de cozinha (ou que não gosta de mim) mata o maitre, o chef ou dá dor de barriga a 3 garçons. E eis o meu bom conselho transformado em grandíssima asnice.

Isso acontece todos os dias.

APICIUS_053Por isso, é com humildade que só os anos e os tropeços ensinam, que te apresento este guia. É um amontoado de palpites, de lembranças e de preferências, como, no fundo, qualquer guia. Não conta tudo."

Seus textos não descreviam quimicamente os pratos como insistem alguns críticos muito críticos, cujos relatos mais se assemelham a autópsias daquilo que acabaram de ingerir. Apicius contava os detalhes do programa de domingo, onde a refeição era quase secundária. Não era incomum ele dizer que o pato que comera era correto e acompanhava-o um vinho honesto. Ponto.

Inesperadas combinações de adjetivos davam o erudito toque de originalidade que muito me divertia e hoje me despertam uma ponta de inveja de suas inspiradas criações. Apicius dirigia-se diretamente a seu público feminino, exclusivamente. Claro que eu e muitos outros não fazíamos parte dele – assim como alguns de vocês prezados leitores – mas nutríamos a mesma admiração por seus escritos.

Na breve pesquisa que realizei sobre o cronista, achei uma excelente entrevista na qual ele dá dicas de como escolher um bom restaurante. Descobri, ainda, que Apicius era também o autor dos desenhos que ilustravam seus textos. E que ele faleceu em 7 de março de 2006.

12 pensamentos em “Querida leitora”

  1. Lie to me

    Como minhas leitoras bem sabem, não sou exatamente um fã de séries televisivas. Jamais assisti a um capítulo de Lost, não chorei quando Friends terminou e nunca sei em que cidades Gary Sinise ou William Petersen investigam crimes em laboratórios….

  2. Você viu antes aqui!

    Outro livro de Mlodinow em português Acaba de sair no Brasil O andar do bêbado, do Leonard Mlodinow. Trata-se da tradução de The Drunkard’s Walk: How Randomness Rules Our Lives , lançado no ano passado nos EUA. Confesso que não…

  3. Por que seu médico precisa ser bom em matemática?

    Antes que a leitora imagine que a resposta a essa pergunta tem a ver com o quanto você paga ao final de cada consulta, esclareço que o tema vai um pouco mais além: seu médico precisa ser bom em matemática…

  4. O golfinho benevolente e a vitória da auto-ajuda

    Nos dois últimos textos explorei as origens do pensamento positivo e da auto-ajuda, além dos motivos pelos quais vejo tais movimentos como prejudiciais. Mas por que então, perguntará a leitora, essas tão insidiosas práticas continuam amealhando cada ve…

  5. The Upside of Irrationality – Dan Ariely

    Muito provavelmente você está lendo aqui o primeiro texto em português sobre The Upside of Irrationality: The Unexpected Benefits of Defying Logic at Work and at Home – o novo livro de Dan Ariely (@danariely). Depois do estrondoso sucesso de…

  6. Dicas de um pai que nunca foi

    A maioria das minhas leitoras sabe que não tenho filhos. Talvez até por isso eu tenha algumas opiniões um pouco inconsequentes sobre temas controversos, uma vez quando você torna-se responsável por algo além do seu umbigo, sua visão de mundo…

  7. A farsa de Copenhague I – A Igreja Universal da Proteção Ambiental

    Os mais influentes jornais do mundo estampam nas suas primeiras páginas, em alarmantes letras garrafais: “Cientistas acreditam que a humanidade esteja à beira de um novo padrão climático, para o qual não estamos preparados”. Um artigo da Newsweek cita …

  8. Fórum Mundial de Marketing e Vendas – Dan Ariely

    (Read this post in English – Translated by Google) Dan Ariely é o que se pode chamar de um verdadeiro Iconoclasta. No sentido literal da palavra, Ariely destrói ícones, quebra paradigmas, rompe tradições. E seu principal alvo é a economia…

  9. Dia dos falecidos pais

    Essa semana duas amigas jornalistas comentaram comigo sobre um mesmo incômodo: ambas precisavam escrever os infalíveis textos sobre o Dia dos Pais para suas respectivas publicações – sendo que os pais de ambas já morreram. Junto-me a elas como o…

  10. Força-de-vontade: a má notícia

    Se a leitora é dessas que tem problemas com sua força-de-vontade e vive se decepcionando por não atingir metas e objetivos pessoais – como perder peso, parar de fumar ou economizar um pouco mais – então tenho uma boa e…

  11. O lado negro do racismo

    Já faz algum tempo que a leitura habitual de jornais é coisa do passado para mim. Em nada me acrescenta saber os pormenores do mais recente escândalo de corrupção, detalhes do último crime hediondo, nem análises das chances de cada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *