Quem nasceu primeiro: a solução ou o problema?

Alguns problemas parecem existir unicamente porque há uma solução ali disponível, ao alcance das mãos. Penso no tema sempre que vejo um motoboy – especialmente hoje, que um deles fez uma barbeiragem tão grande na minha frente, que parou ao meu lado no sinal mais adiante para pedir desculpas. Respondi que eu deveria arrancar seu retrovisor para ele aprender…

Realmente imprescindíveis? (Foto: Blog do Brito)
Realmente imprescindíveis? (Foto: Blog do Brito)

No início deste ano os motoboys ameaçaram* fazer um protesto em São Paulo: durante um dia inteiro, cada motociclista ocuparia o espaço de um veículo, mostrando que o melhor para todos é que eles continuem andando nos corredores entre os carros.

Imediatamente me dei conta de que isso seria fantástico! Explico: se a moto ocupar o espaço de um carro, ela demorará tanto quanto um carro para chegar ao seu destino. Ainda mais num dia desses, onde cada moto se transformaria num automóvel. Eles perderiam, então, qualquer vantagem de mobilidade que por ventura tenham e, como consequência, todas as entregas do dia chegarão atrasadas. Um inteligente protesto cujo efeito colateral seria o fim da categoria. Muito típico, aliás…

Mas pense o que mudaria na sua vida se os motoboys não existissem. Provavelmente você perderia alguns prazos até se readaptar à uma nova realidade. Depois se organizaria melhor, porque saberia que não existe tal coisa como entrega expressa. Ao menos não de moto. Depois de um tempo você nem se lembraria que um dia houve motoboys.

Mas como eles existem, você deixa tudo para a última hora. Aperta seus prazos e depois chama o motoboy que precisará correr que nem um louco para compensar a sua procrastinação. E ele provavelmente arrancará o MEU retrovisor (talvez o que arrancou o seu estivesse fazendo um trabalho urgente para mim).

Ou seja: só porque a solução (motoboy) existe, você deixa o problema (atraso) acontecer. Quantas outras coisas na nossa vida nós também deixamos dar errado só porque sabemos que é possível consertar depois? Quem quer me ajudar a fazer uma lista?

____________________

* Este verbo combina bem com a categoria

3 pensamentos em “Quem nasceu primeiro: a solução ou o problema?”

  1. Sem falar em ‘email’
    Comecei a trabalhar sem essa praga corporativa, tudo funcionava perfeitamente bem ….
    hoje o email serve para tudo, principalmente para aqueles fins para os quais não foi desenhado, como ‘delegação de tarefas’, ‘marcar reuniões’, ‘aprovar uma cadeia de emails confusa’, e, principal e primariamente, “CYA – Cover Your Ass” ….
    Guardamos todos e cada um dos emails que recebemos ou mandamos para que eles sirvam de água-das-mãos-de-Pilatos no futuro ….
    Sad but true
    Abraços
    Serpa

  2. Vocês ai tem muitos problemas com os motobys, que aqui em Portugal designamos por estafetas…Deve ser pelo belo clima, ausência prolongada de chuva.Este inferno foi muito chuvoso cá por Portugal, por isso motobys, estafetas, e outros motociclistas foram parcos em ocupar a nossa rede viária. Os estafetas tiveram de deixar a moto em casa e pegar nas Van para fazer o serviço…Por isso, se tivessem mais chuva e menos calor, isto é mais frio, menos motoboys teriam a fazer rasantes aos espelhos retrovisores dos vossos caros…Saúde da boa e saudações fraternas da ponta mais ocidental da Europa… Lx-Portugal

  3. Pensei nessa frase esses dias e gostaria de compartilhar com vocês.
    “O problema nasce exatamente em algo feito para solucionar.” (Almiro Alves)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *