Solidário no câncer

Assim que se confirmou o diagnóstico de que o ex-presidente Lula tem câncer na laringe, começou a enxurrada de mensagens oportunistas.

De um lado, sugerem que o presidente se trate no SUS, numa clara alusão ao estado lastimável em que se encontra a saúde pública brasileira – culpa não só de Lula, mas também de seus antecessores.

De outro, os patrulheiros politicamente corretos classificam a campanha como de mau gosto, porque não é de bom tom fazer piada com uma doença tão terrível. Muitos acrescentam, em suas críticas, dramáticas histórias reais e depoimentos pessoais.

Antes de mais nada, ninguém está fazendo piada. O estado lastimável da saúde pública no Brasil não é caso de piada, é caso de polícia. Se o povo quer Lula sendo tratato pelo SUS é porque, como presidente do país por oito anos seguidos, ele teve a chance de melhorar as condições de tratamento da população – o que não fez.

Se hoje uma grávida perde o bebê por falta de atendimento, é porque milhões foram desviados pela máfia dos sanguessugas – e Lula não sabia. Se um idoso não pode se tratar no sistema privado, é porque sua aposentadoria é o que sobra depois que os funcionários públicos recebem seus benefícios integrais – e Lula multiplicou os funcionários públicos em seus governos.

Se para você esta comparação é uma piada de mau gosto, o que você acha que as pessoas que se tratam no SUS pensam? É você quem está dizendo que o lugar onde eles buscam tratar seus problemas de saúde é uma piada. E que eles podem tentar a sorte lá, mas o ex-presidente não. Eles não puderam mudar a qualidade do serviço. Lula pôde, mas não fez. Isso sim, é de mau gosto.

Não acho que Lula deveria se tratar nos hospitais que estão por aí. Ele deveria se tratar nos hospitais que não estão por aí. Nos que foram pagos, mas nunca saíram do papel. Nos enormes elefantes brancos que foram construídos à toa, equipados para nada. Novíssimos tomógrafos e raios-x recém-lançados empoeirados numa sala sem energia elétrica. Modernos monumentos à corrupção que nunca atenderam um paciente sequer. Medicina de última geração para tratar Lula e sua corriola. Sem médicos, sem remédios, sem eletricidade, sem manutenção. Mas com todas as comissões em dia!

Ou como opinou O Inopinado: “A atitude digna não é desejar que o Lula se foda no SUS, mas sim que o SUS deixe de ser uma merda! (perdoem o português erudito)”. Perdoado.

Michael J. Fox: participações especiais em The Good Wife, sem coitadismo
Michael J. Fox: participações especiais em The Good Wife, sem coitadismo

Bem disse meu amigo Victor Hugo, sugerindo que se aproveite o momento para fazer campanhas antifumo, para conscientizar a população sobre os efeitos nocivos do cigarro.

Lula seria um ótimo garoto-propaganda para isso e teria a chance de usar seu enorme carisma para algo positivo.

Quando Reagan teve Alzheimer, o país mobilizou-se para desmistificar a doença e aprender a cuidar de seus pacientes. Michael J. Fox e Muhamed Ali fizeram o mesmo pela doença de Parkinson.

As ONGs dos companheiros e dos comedores de criancinhas poderiam dar exemplo e se unir em torno deste nobre objetivo – em vez de sustentar instituições fantasma em benefício próprio e de seus chegados.

Pararelamente a isso, reforça-se o sinistro hábito de endeusar os mortos, mesmo antes de eles falecerem. Recentemente, o coadjuvante Itamar Franco foi promovido a um dos maiores estadistas que o Brasil já teve. Michael Jackson virou ídolo de todos e Amy Winehouse tornou-se unanimidade.

Não sou como o mineiro do Nélson Rodrigues Otto Lara Resende, solidário só no câncer. Minha solidariedade independe de diagnóstico, de patologia. Gosto independentemente da proximidade do juízo final. Ou não gosto.

Todos os parâmetros relaxam após o último suspiro. No caso de Lula, muitos estão caindo bem antes. Peço a gentileza de não fazerem o mesmo comigo. Gostem de mim agora ou não gostem jamais. Não me perdoem quando eu morrer. Aproveitem agora, enquanto ainda estou vivo. Amem ou odeiem, mas não mudem por minha condição. É assim que eu faço. Nunca gostei de Lula, nunca dificilmente gostarei. Vivo ou morto.

15 pensamentos em “Solidário no câncer”

  1. Meu jovem, o escândalo dos sanguessugas envolveu 72 políticos, só 2 do PT, além de ter sua origem na gestão do então Ministro José Serra e permaneceu em atividade nas gestões de Barjas Negri (ambos do governo FHC), Saraiva Felipe e Humberto Costa (ambos do governo Lula) quando este foi alertado pela CGU em 30 de novembro de 2004… só então as coisas começaram a mudar. Nota: 2004 foi no segundo ano do Lula, ou seja, relativamente ainda no início se comparado com os anos FHC-José Serra…

  2. Coisas como detestar o Lula (PT), avacalhar o socialismo, defender o capitalismo neoliberal e a pena de morte no país são ideais comuns da nova-velha direita brasileira. Dizer que detesta o Lula é mole. Coragem mesmo é dizer que gosta do Fernando Henrique, da Margareth Thacher e do Bush… Mas eu gosto de você Rodolfo!

  3. Caro Erro de Datilografia,
    Opiniões são pessoais e cada um tem a sua – seja sobre a qualidade de um governo ou sobre o meu nível de imbecilidade.
    Mas educação é algo um pouco mais padronizado e, mesmo que se admita certo grau de liberdade, lamento que você tenha sido privado dela – seja lá qual for o triste motivo.
    Caso você conseguisse articular sua crítica, teria prazer em discutir seus pontos de vista aqui como faço, educadamente, com aqueles que por ventura tenham opiniões divergentes da minha. E não são poucos – embora nenhum seja covarde o suficiente para se esconder atrás de uma sopa de letrinhas.
    Mas a única coisa que seu ataque gratuito conseguiu mostrar foi o quão acéfalos podem ser alguns defensores do Lula. Obrigado por isso,
    Rodolfo.

  4. Rodolfo,
    Recebi seu recado.
    De fato, cada dia mais as pessoas partem para ofensas e não argumentos ponderados.
    Além de todo dia serem mais e mais hipócritas, todos pagando de santos com esse ou aquele que aparece na mídia, mas tendo atitudes egoísticas com quem está do seu lado…
    É muita hipocrisia.
    Me criticam por não ter pena de LULA e por ter achado graças no humor negro utilizado com o fato da doença, as mesmas pessoas que riem com piadas de fome na Somália…
    Todas essas pessoas já desejaram coisas muito piores para quem estava do seu lado, mas como é bonito ser hipócrita todos me condenam…
    Recado recebido e guardado!
    Até mais!

  5. Caro Rodolfo,
    Acho que a essência dessa onda de dizer que o Lula tem de se tratar no SUS não tem nada a ver com ser contra ou a favor do Lula ou de quem quer que seja, como parecem crer alguns dos que aqui comentaram seu artigo. (A propósito, o Lula não fez todos os hospitais de que precisamos. Tampouco o FHC, o Collor, o Sarney e o coadjuvante, como você inteligentemente o apontou.)
    O que me parece ser a motivação para comentários como os que se espalharam nas redes sociais é uma concepção tacanha da política. Muitos dos que dizem que o Lula tem de ir para o SUS diriam que filho de deputado tem de estudar em CIEP e que senador deveria comer no bandejão, como se fosse necessário sofrer para entender e agir. Ou, o que seria pior, dizem isso por acreditar que todo mundo tem de sofrer o que ele, cidadão desprovido, sofre. Ou, pior ainda, desejam isso por inveja, sem ter jamais passado por essas dificuldades.
    Concordo com você em que boa parte das críticas veio dos patrulheiros politicamente corretos, mas esses idiotas nunca sabem bem o que dizem e, portanto, não importam. Concordo também (embora parcialmente) com suas críticas aos resultados do governo Lula, em particular, e ao sistema de saúde pública. Tenho ressalvas, no entanto, em minhas próprias críticas, porque só conheço de ouvir falar. Confesso que nunca usei saúde pública. Por acaso, vi este link legal hoje (e bem inteligente), com um depoimento de alguém que acha bom o SUS: http://bit.ly/u0I9HX
    Bem, tudo isso para dizer que o que eu acho é que (como digo no comentário meu que você citou) em muitos dos casos as expressões de desafeto dizem mais do caráter do sujeito que as expressa do que a mensagem em si transmite.
    Aproveito para lhe congratular por seus textos sempre inteligentes. Nem sempre concordo com o que você escreve, mas admiro o fato de que apresenta sua posição honestamente e a defende com argumentos sólidos. Como alguém já disse, qualquer idiota pode ter opinião sobre qualquer coisa, mas é preciso um homem verdadeiramente inteligente para saber explicar aos outros e a si mesmo porque chegou às suas conclusões. Uns poucos realmente falam; quase todos apenas repetem.
    Grande abraço e desculpe-me pela resposta barroca!

  6. Caro César, sempre um prazer receber seus eloquentes comentários!
    Desde o início procurei fazer deste blog um lugar para expressar opiniões – não importam quais.
    Há os que ficam indignados, há os que não concordam, mas sobretudo há os que, como você, admiram a honestidade e, por isso, continuo insistindo, pois a maioria aqui respeita a diferença.
    Volte sempre, sinta-se à vontade!
    Grande abraço, Rodolfo.

  7. Acrescento mais ainda. Câncer é uma doença lastimável, provavelmente ninguém discorda, e acredito que grande parte dos leitores do blog já sofreu com doença de forma direta ou não. Antes de tudo, o Lula é um ícone popular e um político: há de se aplicar uma lupa nessa situação mesmo. Tanto para que haja alguma alteração no sistema de saúde (quem aqui já viu “Antes de Partir” em que o ótimo Jack Nicholson adoece e é obrigado a ficar em um de seus hospitais que gerencia de forma “econômica” e desumana!?), tanto pra que isso não vire um teatro a la prévia de horário eleitoral gratuito. o.O

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *