10 coisas que você (provavelmente) não sabe sobre mim

Tenho escrito recentemente sobre coisas muito pesadas. Falsos ecologistas, redes sociais do mal, população mal educada. Até eu canso disso e nem consigo mais ler meu próprio blog, que dirá você, leitora querida.

Então resolvi buscar um tema bem bobo, quase idiota, para dar uma quebrada nessa sequência tão dramática. Vi a dica no The Smart Passive Income Blog, seja lá o que isso signifique. Sem mais enrolação, vamos às 10 coisas que você (provavelmente) não sabe sobre mim – a menos que você seja a minha mãe:

1 Aos 15 anos tive uma fratura no seio frontal (também conhecido como testa) jogando futebol. Precisei de cirurgia para corrigir um afundamento do crânio e por isso tenho uma cicatriz enorme no lado esquerdo da cabeça, devidamente escondida por minha nem tão vasta cabeleira. Se você já reparou, mas ficou constrangido de perguntar, eis sua resposta! E nunca mais tive sinusite depois disso, mas acho que não valeu a pena.

2 Já trabalhei num bar, no Rio de Janeiro. Fui caixa e, depois, gerente. Lá aprendi a admirar uma profissão mais desgastante e honesta do que as pessoas gostam de imaginar: garçons. Também conheci músicos profissionais, que ganham a vida tocando em casas noturnas. E aprendi a jogar gamão. Bem mal. Tinha um cara que, sempre que chegava, me dava um revólver para eu guardar. Surreal!

3 Apesar de escrever sobre gestão, treinamento, liderança e temas semelhantes, já fui demitido quatro vezes. Uma por corte de custos e três por burrice mesmo. Minha, lógico.

4 Estudei no mesmo colégio a minha vida toda: o glorioso São Vicente de Paulo, no Rio de Janeiro. De lá saí para fazer uma improvável faculdade de Astronomia, na UFRJ. Até hoje não sei explicar o porquê. Abandonei o curso três meses depois, fiz um novo vestibular e me formei em Publicidade e Propaganda, na mesma UFRJ.

5 Quando criança, fiz natação, vôlei, futebol de salão, ginástica olímpica, kung fu e tae-kwon-do. Também frequentei aulas de artes no Parque Lage, tentei tocar violão e jogar xadrez. Não levo nenhum jeito para nada disso. Sou um zero nos esportes, artes e música. Escrevo mais ou menos, mas leio que é uma maravilha!

6 A coisa que mais me emociona é uma verdadeira demonstração de amizade. Aquela pessoa que faz o que você não espera, na hora em que você precisa. Serve em filme, também.

7 Tenho certo apreço pelo minimalismo. Pessoas que conseguem dizer muito com muito pouco, seja na música de Chet Baker, a prosa de Pablo Neruda ou nos traços do Juan Miró. Expressões econômicas são extremamente elegantes. Também gosto de adjetivos incomuns e escorregadios.

8 Passo mal de rir com os filmes do Mr. Bean e com indianos falando inglês. Se um dia o Rowan Atkinson interpretar um indiano, é melhor eu não assistir. Aliás, meu senso de humor é meio bizarro. Nem queira saber…

9 Uma vez tive um ataque de riso numa reunião importante com o Presidente de uma empresa. Foi um dos momentos mais embaraçosos da minha vida profissional – e acho que não teve a ver com uma das minhas quatro demissões. Eu simplesmente não conseguia parar de rir e confesso que não me lembro o motivo.

10 Sigo 100 pessoas no Twitter, sempre. Mais do que isso dispersa a atenção. Quando quero acrescentar uma pessoa, tenho que deletar outra. Algo parecido com a vida real.

11 Não sei contar direito.

11 pensamentos em “10 coisas que você (provavelmente) não sabe sobre mim”

  1. Escreve muito bem – fora o fato de você enxergar o lado oculto de temas cotidianos que, normalmente, passa despercebido da maioria(eu).

  2. 7 -> Pensei que você mencionaria o twitter ali 🙂
    Você vai gargalhar ao ler isso pq volta e meia escrevo comentários gigantes aqui. Também gosto da idéia de dizer muito com pouco, em geral. Mas, para mim, é dizer mais, usando menos, tendo cada vez mais opções para escolher. Quer dizer, sou avesso à idéia de eliminar palavras do vocabulário e resumi-las em poucas expressões. Ao contrário, gosto de criar palavras novas, com maior poder de expressão. Concordo com oq vc disse sobre os adjetivos.
    10 -> A necessidade pode eventualmente ampliar a capacidade 🙂
    11 -> por isso largou a astronomia? lol dont answer it =p

  3. 7 -> Bem lembrado, João! Acho que o Twitter, ao contrário do que eu imaginava, melhorou a minha escrita, por forçar a síntese. É engraçado perceber como 140 caracteres são suficientes para muita coisa.
    Abraço, Rodolfo.

  4. Po Xará,
    Tem um esquete de teatro com o Rowan Atkinson fazendo o papel (sozinho) de garçom indiano!
    Tem que achar no youtube, to sem acesso aqui.
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *